Qual a Droga mais Viciante?

qual a droga mais viciante

Todos sabemos que as drogas têm efeitos devastadores no nosso cérebro e algumas levam rapidamente à dependência, mas qual a droga mais viciante?

Um estudo realizado e publicado na revista The Lancet, mostrou uma lista das drogas mais viciantes, onde a heroína ocupou o primeiro lugar.

Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores levaram em conta os perigos envolvidos, assim como o maior risco de dependência e seu impacto social.

Independentemente de qual seja a substância, é importante ter claro que a dependência química é uma doença, e em alguns casos, a melhor solução é buscar tratamento em uma clínica de recuperação.

Nesse artigo, entenda melhor porque a heroína foi classificada como a droga mais viciante e quais são as consequências na saúde!

Qual a droga mais viciante?

Como dito acima, um estudo foi feito para determinar qual a droga mais viciante, e a heroína é a número 1.

Essa droga, da família dos opiáceos, age muito rapidamente, principalmente quando ela é injetada, o que causa um aumento de 200% do nível de dopamina no sistema de recompensa do cérebro.

Sua passagem no cérebro é de 100 a 1.000 vezes mais fácil que com a morfina, o que proporciona uma sensação de prazer intenso imediatamente.

Além de ser altamente viciante, o perigo da heroína vem também do fato que a dose letal é apenas 5 vezes superior à dose necessária para obter o efeito “high”, o que a coloca no topo da lista.

Quais as consequências do uso de heroína?

Sabendo agora qual a droga mais viciante, é importante também saber que os efeitos da heroína são sentidos 10 segundos após ter sido injetada por via intravenosa e alguns minutos após fumada ou inalada.

A duração dos efeitos depende da dosagem, qualidade do produto, a forma de consumo e a condição física da pessoa, que pode ser de 2 a 5 horas.

Além da euforia e da sensação de bem-estar, as consequências do uso de heroína podem ser muito graves, tais como:

  • Diminuição do ritmo cardíaco;
  • Náuseas;
  • Vômitos;
  • Queda na pressão sanguínea;
  • Retração das pupilas;
  • Desorientação;
  • Confusão mental;
  • Problemas de linguagem e coordenação;
  • Baixa no desejo sexual;
  • Parada respiratória, que pode levar à morte.

Além de tudo isso, há um alto risco de doenças infecciosas, como hepatite e HIV, em razão do uso de seringas compartilhadas.

Por isso, é crucial que o usuário seja submetido o quanto antes a um tratamento para dependentes químicos, caso contrário, as consequências podem ser irreversíveis.

O que é uma overdose de heroína?

Outra explicação no momento de definir qual a droga mais viciante, é por causa do risco elevado de overdose.

O consumo de heroína está associado a um alto risco de overdose, e os usuários raramente conhecem a força real da droga que eles usam.

Em casos de altas doses, a pessoa pode perder a consciência quase que imediatamente.

Os sintomas de overdose são:

  • A pessoa não reage;
  • Uma respiração lenta e fraca;
  • Pele fria e pálida;
  • Sonolência extrema ou uma perda de consciência.

Há um risco maior de overdose se a pessoa consumir a heroína com outros depressivos, como o álcool, por exemplo.

Nesse caso, além de buscar tratamento para se livrar da heroína, também é necessário o tratamento para alcoolismo, e assim, evitar maiores danos.