Vício tem cura? Descubra como tratar!

mulher com cinco cigarros na boca

Uma dúvida muito comum é se o vício tem cura, porém, por se tratar de um problema crônico, não tem cura, mas isso não significa que o vício não possa ser tratado, muito pelo contrário!

Tabaco, álcool, droga, jogo, sexo…Um vício é uma doença biológica, psicológica e social, que pode afetar todo mundo e estar relacionado a diversas substâncias ou comportamentos.

Quando o consumo é excessivo causa na pessoa dificuldades físicas, psicológicas, afetivas, familiares ou profissionais. Infelizmente, às vezes, pode demorar para quem está próximo se dar conta que ali existe uma dependência.

Além disso, existem casos onde não é possível largar o vício sozinho, o que torna necessário um tratamento para dependência química com profissionais habilitados.

Entenda, a seguir, a importância de buscar tratamento e como o vício é tratado!

Vício tem cura?

Quando a pergunta é se vício tem cura, a resposta é não, já que o usuário terá que tratar a dependência pelo resto de sua vida.

Ou seja, o tratamento é a longo prazo, que consiste em fazer com que a pessoa pare de usar uma determinada droga, álcool, ou qualquer outro tipo de vício, por exemplo, parar de jogar.

Enfim, não existe “receita mágica”, e o tratamento é sempre longo e, às vezes, com algumas recaídas.

Mas o sucesso é possível e depende essencialmente da motivação da pessoa a se curar, em seguida, na melhora de suas condições de vida e autoestima.

É necessário também encontrar um interesse na vida e se dedicar, e redescobrir que é uma pessoa útil e capaz.

Quais as causas dos vícios?

O mecanismo de origem do vício é aquele do sistema de recompensa, que é algo normal e presente em todos os animais.

O que é o sistema de recompensa? É um circuito do cérebro responsável pelas sensações de prazer sentidas após certas ações.

Presente no cérebro humano, e é graças a ele que nós repetimos voluntariamente os comportamentos indispensáveis à nossa sobrevivência, como comer, beber, etc.

Já nos problemas com adicções, esse mecanismo é afetado, tanto pelo uso de uma substância que aumenta a sensação de prazer, tanto por um mal funcionamento do cérebro, que não regula corretamente seu sistema de recompensa.

Na nossa sociedade, existe uma tendência para compensar o excesso: um cigarro após um evento estressante, uma dose de uísque após um dia de trabalho pesado ou ainda uma compra compulsiva.

Por exemplo, no caso do uso abusivo do álcool. A pessoa não tem qualquer controle para parar de beber, o que pode vir acompanhado de consequências médicas, psicológicas e sociais.

Nesse caso, a melhor solução é procurar um tratamento para alcoolismo, e isso funciona para qualquer outro tipo de vício.

Como tratar um vício?

A princípio, o principal objetivo do tratamento em uma clínica de recuperação é a redução dos riscos e danos ligados ao vício, como intoxicação aguda, overdose, comportamentos de risco, contaminações…

Para isso, o tratamento é obrigatoriamente multidisciplinar: uma combinação de um tratamento medicamentoso, uma abordagem psicológica individual e um acompanhamento familiar e social.

Sabendo que o vício não tem cura, é fundamental que o plano de prevenção de recaída seja integrado em toda a vida e em todos aspectos da recuperação do adicto!