Quais os efeitos do ecstasy? Saiba aqui!

Mesmo usado cada vez mais em festas e baladas, as pessoas ainda desconhecem os efeitos do ecstasy no corpo, e por consequência, na saúde.

Também chamada de “droga do amor”, os efeitos aparecem rapidamente, aproximadamente meia hora após o consumo, e duram entre 2 a 4 horas.

Embora a dependência seja rara, o problema é quando o ecstasy é combinado com o álcool, e se o consumo impactar a vida pessoal e profissional do usuário, a melhor solução é o tratamento para alcoolismo.

Se todos soubessem as consequências negativas do ecstasy, provavelmente tentariam reduzir o consumo.

Por isso, nesse artigo, vamos explicar como o ecstasy pode afetar a vida da pessoa, e quais os riscos do uso abusivo dessa droga!

O que é ecstasy?

Antes de saber quais os efeitos do ecstasy, é importante entender mais sobre essa droga.

O nome químico do ecstasy é metilenodioximetanfetamina, cuja abreviação é MDMA. A composição química e os efeitos do MDMA são semelhantes àqueles dos estimulantes e alucinógenos. 

O ecstasy influencia a química do cérebro, liberando uma quantidade elevada de serotonina, que é uma substância presente no cérebro que, entre outros, tem um papel importante na regulação do humor, da energia e do apetite.

É essencial ficar atento aos sinais, especialmente no caso de uso conjunto de outras substâncias, e a boa notícia é que recorrer a uma clínica de recuperação é a melhor solução para evitar danos maiores à saúde.

Geralmente, os comprimidos são vendidos em tamanhos e cores diferentes, e com a aparência de uma bala, sendo fabricados em laboratórios ilegais, e contêm drogas desconhecidas.

Quais os efeitos do ecstasy?

Para você entender melhor os efeitos do ecstasy, saiba que tais efeitos dependem de muitos fatores, como:

  • A idade e o peso da pessoa;
  • A quantidade absorvida e a frequência de uso;
  • O tempo de uso;
  • O meio ambiente;
  • Estado médico ou mental;
  • O consumo simultâneo com álcool ou outras drogas.

Em doses baixas ou moderadas, o ecstasy pode produzir sensações de prazer e bem-estar. A pessoa se sente mais sociável e mais próxima dos outros.

Assim como todos os estimulantes, a droga proporciona ao usuário a impressão de mais confiança e energia.

No entanto, mesmo em pequenas quantidades, o ecstasy pode ter efeitos negativos importantes. 

Agora, quanto maior a quantidade, os efeitos negativos são potencializados sem entretanto aumentar os efeitos desejado, que podem ser:

  • Sudorese;
  • Aumento da pressão arterial ou ritmo cardíaco;
  • Dores no maxilar;
  • Ansiedade ou crises de pânico;
  • Visão dupla;
  • Náuseas;
  • Vômitos;
  • Convulsões.

Depois que os efeitos iniciais desaparecem, os usuários têm mais chance de sentir confusão, paranóia, depressão, irritabilidade, insônia ou problemas de memória.

Exatamente para evitar essas consequências que mostra a importância de buscar tratamento para dependência química o quanto antes.

Quais os riscos do uso do ecstasy?

Embora algumas pessoas considerem o ecstasy como uma droga relativamente inofensiva,  saiba que muitas mortes estão associadas ao seu uso.

É claro que, assim como outras drogas, os riscos aumentam em função da quantidade absorvida e da frequência de uso.

A desidratação, o aumento da temperatura do corpo, da pressão sanguínea e ritmo cardíaco são as principais causas das mortes entre jovens.

E se a pessoa já tiver algum problema pré-existente ou usar outras drogas, esse risco aumenta ainda mais.

Por isso, o ideal é que todos os usuários buscassem ajuda profissional para se livrar do vício em ecstasy!