O cigarro e os seus malefícios

Cada vez que fumantes inalam mais de 4 720 substâncias tóxicas, como monóxido de carbono, amônia, cetonas, formaldeído, acetaldeído, acroleína, naftaleno e fósforo P4/P6 (usado para matar ratos), mais 43 carcinógenos, principalmente arsênico, níquel, benzopireno, cádmio, chumbo, resíduos de pesticidas e substâncias radioativas (por exemplo, polônio 210). Como resultado, o tabaco é a causa direta de cerca de 50 doenças, muitas delas incapacitantes e letais, tais como câncer, doenças cardiovasculares e doenças respiratórias crônicas. Segundo a Organização Mundial da Saúde, é a principal causa de mortes evitáveis no mundo inteiro, sendo responsável por 63% das doenças crônicas não transmissíveis.

A nicotina nos cigarros é responsável por estimular a sensação de prazer ou de fumar. Com a inalação contínua do medicamento, o cérebro se adapta e precisa de doses crescentes para manter o nível de satisfação que inicialmente estava faltando. Por ocasião do Dia Mundial Sem Tabaco, celebrado em 31 de maio, o pesquisador do Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira (IFF/Fiocruz) Hisbello da Silva Campos expressou algumas dúvidas sobre os efeitos nocivos do tabaco. sobre a saúde dos fumantes e das pessoas que respiram e o que pode ser feito para reduzir os danos causados.

Que mal pode fazer à vida de um fumante?

O fumo é uma causa direta de morte em doenças pulmonares obstrutivas crônicas (bronquite e enfisema), vários tipos de câncer (pulmão, boca, laringe, garganta, esôfago, pâncreas, rim, bexiga, colo uterino, estômago e fígado), por exemplo, doença coronária (angina de peito e infarto do miocárdio), doença cerebrovascular (derrame). Também aumenta o risco de outras doenças, tais como tuberculose, infecções respiratórias, úlceras estomacais, impotência sexual, infertilidade masculina e feminina, osteoporose, cataratas, etc.

Quais são os riscos que o fumo pode causar aos fumantes passivos?

Os fumantes devem estar cientes de que o cigarro pode causar doenças em pessoas com as quais vivem em casa, sem trabalho e sem uma área comunitária. Não há nível seguro de exposição à fumaça de outras pessoas. A fumaça emitida por um cigarro e distribuída uniformemente no ambiente contém em média três vezes mais nicotina, três vezes mais monóxido de carbono e até 50 vezes mais carcinogênicos do que a fumaça ou inalação. A exposição não intencional à fumaça do tabaco pode causar reações alérgicas (rinite, tosse, conjuntivite, agravamento da asma), ataques cardíacos, câncer de pulmão e doenças pulmonares obstrutivas (enfisema e bronquite) em adultos expostos à fumaça do tabaco por longos períodos de tempo. Em crianças, o número de infecções do trato respiratório está aumentando. Uma lei proibindo o fumo em locais públicos e em ambientes fechados foi um passo importante em direção a medidas de proteção.

O fumo pode afetar seu desempenho no trabalho? Que efeito isso tem sobre você?

Cada vez que você fuma, você inala mais de 4.720 substâncias tóxicas tais como monóxido de carbono, amônia, cetonas, formaldeído, acetaldeído, acroleína, naftaleno e fósforo P4/P6 (usado para matar ratos) e 43 carcinógenos, principalmente arsênico, níquel, benzopireno, cádmio, chumbo, resíduos de pesticidas e substâncias radioativas (por exemplo, polônio 210). Como resultado, o tabaco é a causa direta de cerca de 50 doenças, muitas delas incapacitantes e mortais, tais como câncer, doenças cardiovasculares e doenças respiratórias crônicas. Segundo a Organização Mundial da Saúde, é a principal causa de mortes evitáveis no mundo inteiro, sendo responsável por 63% das doenças crônicas não transmissíveis.

A nicotina nos cigarros é responsável por estimular a sensação de prazer ou de fumar. Com a inalação contínua do medicamento, o cérebro se adapta e precisa de doses crescentes para manter o nível de satisfação que inicialmente estava faltando. Por ocasião do Dia Mundial Sem Tabaco, celebrado em 31 de maio, o pesquisador do Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira (IFF/Fiocruz) Hisbello da Silva Campos expressou algumas dúvidas sobre os efeitos nocivos do tabaco. sobre a saúde dos fumantes e das pessoas que respiram e o que pode ser feito para reduzir os danos causados.